Seu trabalho não é você

Alexandre Magno Teles
7 min readFeb 11, 2021
Trabalhando de casa em um dia de verão em Copenhagen. Foto: Alexandre Magno

Você ama seu trabalho. Você se dedica e até pode ser um funcionário exemplar. Além disso, você se desloca diaramente para o seu trabalho e sente falta dele e de seus colegas quando não pode seguir este ritual.

No entanto, percebemos depois de um tempo, que você não é o seu trabalho. Sem ele, você é uma pessoa com desejos e anseios que talvez você não tenha nem explorado ao máximo, pois a dedicação ao trabalho não permitiu que você explorasse outras possibilidades. Além disso, o próprio trabalho o faz sentir incapaz, muitas vezes com as políticas de “gaps”, que sempre há algo para melhorar e você está sempre correndo para atender as expectativas do seu empregador.

Neste artigo vou abordar algumas reflexões sobre trabalho e estilo de vida, bem como a vida de trabalho em escritório em relação ao trabalho remoto após a chegada da pandemia do corona vírus.

A pandemia mostrou muitas facetas de como havíamos entrado no modo automático no ambiente de trabalho. Quando fomos obrigados a trabalhar de casa e parar um pouco, ou até mesmo repensar sua vida, podemos ver o quanto fomos escravos do nosso trabalho. Em situações extremas pudemos cair na real do quanto você pode ter perdido sua vida própria, e com isto aumentando o vazio existencial na pandemia, pela falta das interações do trabalho que você está acostumado. O seu piloto automático foi desligado pela pandemia e chegou a hora de tomar o controle.

O famoso pai Diná, Bill Gates, disse em seu artigo, “Bill Gates prevê que a pandemia mudará o mundo destas 7 maneiras”, e uma que se destacou para mim foi:

você socializará menos no trabalho e mais na sua comunidade

Isto vem como resultado de menos pressão para correr e se adaptar ao trabalho, mas no estilo de vida de trabalho remoto, você irá interagir mais com sua família e na comunidade a sua volta, no ciclo mais natural da existência. O trabalho da forma como estamos acostumados, apesar de parecer normal, não é o natural. Fomos “forçados” a entrar na engrenagem como parte do ciclo de qualquer ser humano.

Photo by Petter Lagson on Unsplash

--

--

Alexandre Magno Teles

Citizen Scientist and Software Engineer, looking for the limits beyond mind and machine exploring the world